CFBio - Conselho Federal de Biologia
ÁREAS DE ATUAÇÃO SaúdePORTAL DOS BIÓLOGOSPORTAL DA SAÚDESelo CFBio de Qualidade de Cursos de Ciências BiológicasNormativas de Interesse dos BiólogosPerguntas Frequentes Universidades Públicas Links Úteis Sindicatos e Associações de BiólogosLAI

REDES SOCIAIS

Facebook Twitter Google Plus
Youtube Linkedin Instagram

TEMPO HOJE

BUSCA DE CEP

 

Correios

Três Biólogos ganham Nobel de Medicina por estudos sobre ritmo circadiano

Publicado em: 02/10/2017


Os Biólogos americanos Jeffrey C. Hall, Michael Rosbash e Michael W. Young foram os ganhadores do Prêmio Nobel de Medicina 2017, por suas "descobertas dos mecanismos moleculares que controlam o ritmo circadiano" - conhecido como relógio biológico. O anúncio foi feito nessa segunda-feira (2) pela Assembleia do Nobel, do Instituto Karolinska de Estocolmo.

Os premiados explicaram "como plantas, animais e humanos adaptaram o ritmo biológico" para "sincronizá-lo com as rotações da Terra". O chamado "relógio biológico" é aplicado tanto ao jet "lag" que é produzido nas viagens transatlânticas, quanto à função clorofilina das plantas. Este relógio adapta a nossa fisiologia de forma "drástica" a distintas fases da vida, ao denominado ciclo circadiano, regulando desde a conduta aos níveis hormonais, a temperatura corporal e o metabolismo, explicou o júri em sua decisão.

Os premiados isolaram o gene que controla o ritmo biológico diário, ao codificar uma proteína que se acumula nas células durante a noite e se degrada durante o dia. Além disso, identificaram componentes adicionais das proteínas que influenciam no relógio interno das células, diz a argumentação do Instituto sueco.

Hall nasceu em Nova York em 1945 e trabalha na Universidade americana de Maine; Rosbash nasceu no Kansas em 1944 e trabalha na de Waltham, enquanto Youg, nascido em 1949 em Miami, trabalha na novaiorquina Universidade Rockefeller.

No ano passado, o Instituto Karolinska premiou o Biólogo japonês Yoshinori Ohsumi por descobrir os mecanismos da autofagia, processo básico de degradação e reciclagem de componentes celulares e de grande importância em muitos fenômenos fisiológicos.

O valor do prêmio é de 9 milhões de coroas suecas (US$ 1,1 milhão), a ser dividido entre os premiados. Neste ano, a fundação aumentou o montante das distinções do Nobel, pela primeira vez em cinco anos. Todos os prêmios são entregues em Estocolmo, com exceção do Nobel da Paz, que é entregue em Oslo por desejo expresso do fundador do Nobel, o magnata sueco Alfred Nobel (1833-1896), já que a Noruega formava então parte do Reino da Suécia.

Os prêmios serão entregues em 10 de dezembro, coincidindo com o aniversário da morte de Nobel, em uma dupla cerimônia no Konserthus de Estocolmo e na Câmara Municipal de Oslo.

Fonge: Agência EFE




Voltar Imprimir este artigo